A Black Friday é uma das datas mais aguardadas e importantes para o varejo brasileiro. Todos os anos as empresas planejam ações, promoções e trazem novidades para seus clientes. Em 2020, houve um aumento considerável no faturamento, em relação ao ano anterior, e esse ano promete ainda mais: segundo uma pesquisa da E-bit/Nielsien, o varejo brasileiro deve movimentar R﹩110 bilhões de reais na Black Friday deste ano.

E, com tantos comerciantes preparando suas estratégias para se destacarem no mercado, fazer uma análise de quais serão os desafios e o que o consumidor espera da data será essencial. Segundo o Behup, Pesquisa Retomada do Consumo 2021 para Inteligência de Mercado Globo, 80% dos consumidores pretendem realizar novas compras através de canais de venda como WhatsApp ou redes sociais de loja e 88% pretendem participar de live-commerces. Isso porque as vendas online cresceram significativamente na pandemia e, mesmo com o avanço da vacinação e o retorno das atividades das lojas físicas, a compra digital é um conforto que o consumidor não abre mão.

Pensando nisso, a OmniChat , empresa líder do segmento de chat-commerce no Brasil, separou algumas dicas para quem quer dar relevância nas promoções e turbinar as vendas. Confira:

• O foco está no consumidor: Com o crescimento significativo das vendas online, proporcionar uma boa experiência ao cliente virou um grande desafio para as empresas. Mas, as marcas precisam entender que manter o atendimento humanizado das lojas físicas nas plataformas digitais, aumenta bastante as chances de conquistar o consumidor. Segundo um estudo feito pela Right Now, 86% dos consumidores estão dispostos a pagar até 25% a mais para uma loja que proporcione um atendimento de qualidade. Ou seja, um atendimento personalizado não apenas garante a fidelização do cliente, mas também pode aumentar a margem de lucro das vendas online na Black Friday 2021.

Leia Também

• Atenção aos prazos de entrega: Muita coisa mudou com a aceleração dos processos digitais, e o cenário de entregas acompanhou isso. Entregar na data prometida já não é mais um diferencial: é o básico. O novo consumidor espera que seu produto chegue cada vez mais rápido. As marcas precisam, cada vez mais, dar opções de frete para o consumidor. Possibilitar a compra online e a retirada na loja física, fazer parcerias com múltiplas transportadoras e fretes com motoboy, por exemplo, são possibilidades viáveis que você pode adotar a tempo de garantir entregas mais rápidas na Black Friday da sua empresa.

• Omnichannel é a palavra da vez: A jornada do consumidor já não se resume a apenas um canal. O cliente está na sua loja física, nas suas redes sociais, pesquisando no e-commerce e, ao mesmo tempo, falando com um vendedor da sua loja pelo WhatsApp. E para se destacar na Black Friday, é preciso olhar para todos esses canais. E prestar um bom atendimento em todos eles. Quanto mais fluida for a experiência do seu cliente, maior será sua satisfação, refletindo diretamente na taxa de conversão das suas vendas.

• Opções de pagamentos e benefícios ainda fazem muita diferença: Já se foi o tempo que formas de pagamento eram apenas meios para receber o dinheiro dos clientes. Hoje em dia, oferecer várias possibilidades de formas de pagamento se tornou um grande diferencial competitivo. Na Black Friday 2021, não basta ter boas promoções. É preciso dar possibilidades para seu cliente pagar: cartão de crédito, boleto e o queridinho do momento, o pix, são os principais meios utilizados pelos brasileiros. Além disso, benefícios como Cashback e frete grátis para determinados valores de compra, podem ser fatores determinantes na hora do consumidor escolher uma marca.

"O social commerce se mostra uma ótima opção para as marcas que irão participar da Black Friday se conectarem com seus clientes e manterem o nível esperado de interação e aproximação que o novo consumidor pede. Essa é uma data vital para o comércio e é muito necessário que esses comerciantes estejam preparados e antenados, para estarem onde seus consumidores estão e atendê-los da melhor maneira", reflete Mauricio Trezub, CEO da OmniChat.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários